domingo, 20 de julho de 2014

Saiba mais sobre o GESCON e prepare-se para o Exame de Suficiência CRC!




                                                            Coordenação do GESCON
O GESCON (Grupo de Estudos para Concursos) surgiu como opção de curso preparatório para o Exame de Suficiência CRC, sendo um dos primeiros do Brasil a oferecer turma presencial voltada exclusivamente para este certame. 

O Conselho Federal de Contabilidade passou a exigir que os estudantes de Ciências Contábeis (a partir do 7º período) fizessem o Exame de Suficiência para obter a carteira de registro profissional. Foi então que o Prof. Ricjardeson Dias percebeu a dificuldade dos estudantes com esse tipo de prova, e criou o curso preparatório voltado exclusivamente para estudantes e recém formados em Ciências Contábeis. 

E assim o GESCON formou sua primeira turma, com 18 (dezoito) estudantes, sendo que 12 (doze) conseguiram obter a aprovação, ou seja, 67% de sucesso na prova. 


Esse resultado ficou muito acima da média geral de aprovação da época, que correspondia a menos de 30%, e o GESCON passou a ter uma excelente aceitação no mercado, aumentando a quantidade de turmas, mas sempre respeitando o limite de 25 alunos por turma. 

Confira no gráfico a seguir o histórico de aprovações no curso:


A relação de alunos aprovados em cada temporada de Exame CRC está publicada no site do GESCON, com o nome completo de cada aprovado, e pode ser acessada através do link http://www.gesconcursos.com.br/index.php?option=com_phocagallery&view=categories&Itemid=72.

Com esse sucesso de aprovações, o GESCON se espalhou por todo o país, e foi então que surgiu o curso à distância para o Exame de Suficiência, composto de aulas em pdf, simulado on line e questões comentadas (em pdf e vídeo-aulas). E detalhe, este é o curso mais barato do Brasil, por apenas R$ 140,00. 

Ao efetuar a matrícula no GESCON, o estudante recebe um login e senha para ter acesso ao ALUNO ONLINE, que é a sala virtual do curso, onde o mesmo poderá baixar as aulas. Os materiais em pdf são organizados em aulas numeradas, conforme abaixo:


Se você leu este post e tem interesse em fazer nosso curso, entre em contato conosco através do e-mail cursosgescon@gmail.com ou através dos telefones: (86) 3305-9102 (fixo); (86) 8803-5358 (Oi); (86) 9957-9615 (Tim).

 Confira o conteúdo programático de cada disciplina a seguir:

I. CONTABILIDADE GERAL

Conteúdo programático:1. Contabilidade: conceito, objeto, objetivo e finalidade; 2. Usuários da Contabilidade: internos e externos; 3. Patrimônio: Bens, Direitos e Obrigações; Equação Fundamental; Situações Patrimoniais Possíveis; Ativo, Passivo e PL. 4. Contas: Teoria Patrimonialista; Contas Patrimoniais x Contas de Resultado; Exemplos. 5. Depreciação, Amortização e Exaustão. 6. Princípios de Contabilidade – Res. CFC 750/93 atualizada pela Res. CFC 1282/10; 7.Características Qualitativas obrigatoriamente presentes nas demonstrações contábeis; 8.Atos e Fatos. Conceitos e classificação em Permutativos, Modificativos e Mistos. 9.Lançamentos Contábeis: mecanismo do débito e do crédito; Fórmulas de escrituração; Exemplos.10. Plano de Contas: conceito e características. 11. Aspectos conceituais do Balanço Patrimonial: conceito, obrigatoriedade, formas de apresentação, grau de liquidez e exigibilidade, origem e aplicação dos recursos, duração do exercício social. 12. Aspectos estruturais do Balanço Patrimonial: grupos de contas, ativo, passivo e patrimônio líquido. 13. Notas Explicativas. 14. Resultado: lucro e prejuízo.15. Receita e Despesa: conceito, classificação e exemplos. 16. Regimes de Contabilização: Caixa x Competência. 17. Demonstração do Resultado do Exercício – DRE. 18. Demonstração do Resultado Abrangente. 19. Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC. 20. Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido. 21.Demonstração do Valor Adicionado. 22. Operações com Mercadorias: sistemas de inventário: periódico x permanente. 23. Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) e Resultado com Mercadorias (RCM). 24. Inventário Permanente: PEPS, UEPS e CUSTO MÉDIO (MÉDIA PONDERADA MÓVEL).

Referência bibliográfica: Contabilidade Geral – Ed Luiz Ferrari - 12ª edição - Editora Campus.



II. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL
 

Conteúdo programático: Código de Ética Profissional do Contador. Resolução CFC nº. 803/96, de 10 de OUTUBRO de 1996, com as alterações/inclusões da Resolução CFC 1307/10, publicada no Diário Oficial da União de 14.12.2010, e republicada em 10 de janeiro de 2011.


Referência bibliográfica: Resolução CFC nº. 803/96 e alterações posteriores.




III. CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO

Conteúdo programático:1. Introdução a Contabilidade Aplicada ao Setor Público: conceito, abrangência (campo de aplicação), objeto; 2. Patrimônio Público: conceito e características. 3. Receitas e Despesas (enfoque orçamentário e patrimonial); 4. Restos a Pagar e Despesas de Exercícios Anteriores. 5. Composição do Patrimônio Público: ativo, passivo e patrimônio líquido; 6. Variações Patrimoniais; 7. Depreciação, Amortização e Exaustão. 8. Aspectos gerais do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público. 9. Sistema contábil 10. Registro contábil. 11. Estrutura do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público. 12. Lançamentos típicos. 13. Balanço Orçamentário 14. Balanço Financeiro 15. Demonstração das Variações Patrimoniais. 16. Balanço Patrimonial 17.Demonstração dos Fluxos de Caixa. 18. Demonstração das Mutações no Patrimônio Líquido.


Referência bibliográfica: Contabilidade Aplicada ao Setor Público – Ricjardeson Dias - 1ª edição – Editora Edipro.



IV. AUDITORIA CONTÁBIL
 

Conteúdo programático:1. Auditoria: definições iniciais. 2. Auditoria interna e externa: conceitos e características. 3. Tipos de auditoria: das demonstrações contábeis; de gestão; de sistemas e fiscal/tributária. 4. Perfil e Qualidades do Auditor. 5. Estrutura de Relatório Financeiro Aplicável. 6. Diferenças entre auditoria e perícia. 7. Evidências em auditoria. 8. Erro e Fraude 9. Fases da auditoria: planejamento, execução e comunicação dos resultados. 10. Riscos de auditoria: risco de distorção relevante e risco de detecção. 11. Risco inerente e risco de controle. 12. Testes de auditoria: testes de observância/controle e procedimentos substantivos. 13. Procedimentos de auditoria: inspeção, investigação, confirmação etc. 14. Documentação de auditoria/ papéis de trabalho. 15. Relatório de auditoria: sem ressalvas, com ressalvas, adverso, com abstenção de opinião. 16. Parágrafo e ênfase. 17. Parágrafo de outros assuntos.


Referência bibliográfica: Auditoria Fácil – Osni Moura Ribeiro/ Juliana Moura Ribeiro Editora: Saraiva



V. PERÍCIA CONTÁBIL
 

Conteúdo programático: Perícia Contábil: definições iniciais. 2. Tipos de Perícia: Judicial, Extrajudicial e Arbitral. 3. Aspectos profissionais do Perito. 4. Planejamento, execução e procedimentos. 5. Competência técnico-profissional. Honorários Periciais. Quesitos. 6. Indicação de Assistentes. 7. Laudo Pericial. 8. Parecer Pericial Contábil. 9. Termo de Diligência.


Referência bibliográfica: NBC TP 01 e NBC PP 01.



VI. CONTABILIDADE DE CUSTOS
 

Conteúdo programático: 1. Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade de Custos: conceito de custos, despesas, investimento e gastos. 2. Classificação e nomenclatura dos custos: Custos fixos e custos variáveis, custos diretos e indiretos. 3. Métodos de custeio: Custeio por Absorção, Custeio Variável, Custeio Baseado em Atividades (ABC). 4. Custo Padrão e Custo de Transformação. 6. Margem de Contribuição. 7. Ponto de Equilíbrio. 8. Margem de Segurança.


Referência bibliográfica: Contabilidade de custos / Martins, Eliseu. - 9. ed. - São Paulo : Atlas,. 2003

terça-feira, 15 de julho de 2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORRENTE-PI ABRE CONCURSO PARA DIVERSAS ÁREAS

A partir do dia 14 de julho, segunda-feira, estarão abertas as inscrições para o concurso público da prefeitura municipal de Corrente. Ao todo serão 172 vagas, distribuídas por diversos cargos, com opções para quem possui ensinos fundamental, médio e superior. As remunerações variam de R$ 724 a R$ 3.000, com jornada de trabalho de 40 horas semanais, exceto para o cargo de assistente social, que será de 30 horas.
As inscrições devem ser realizadas exclusivamente no site da empresa realizadora do concurso, a CONSEP – Consultoria e Estudos Pedagógicos (www.consep-pi.com.br), até 17h do dia 15 de agosto de 2014. As taxas são de R$ 35 para cargos com exigência de ensino fundamental, R$ 55 para ensino médio e R$ 95 para nível superior. O certame terá ainda vagas  para os cargos de Auditor de Tributos (01 vaga) e Fiscal de Tributos (02 vagas).
A realização da prova será no dia 21 de setembro, em local a ser divulgado. Todas as informações a respeito do cronograma do concurso podem ser acompanhadas pelo site da CONSEP (www.consep-pi.com.br), ou no site da prefeitura municipal (www.corrente.pi.gov.br).
Para fazer o download clique aqui Edital nº 001.2014 – Concurso Público
Fonte: ASCOM/Prefeitura

TJ/GO ainda em fase de distribuição de vagas por áreas

O edital do concurso que será realizado pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ/GO), inicialmente previsto para ser publicado até julho, deve atrasar. Segundo informações obtidas junto ao setor de recursos humanos, o motivo é que ainda estão sendo definidas as áreas que contarão com oferta de vagas.Ressaltam que o concurso deverá abranger todo o estado e, por este motivo, estão sendo avaliadas diversas áreas de atuação que poderão incluídas na distribuição das oportunidades. A expectativa é de que agora esta definição ocorra até agosto. Somente então será estudada a data de publicação do edital.



A seleção contará com 300 vagas e já está certo que, entre as oportunidades, haverá ofertas para analistas nas áreas administrativa, de apoio judiciário e judiciária especializada. Para todos os cargos será necessário possuir curso de nível superior, mas as áreas de formação para concorrer devem variar de acordo com a carreira.
Dos cargos já definidos, para concorrer na área administrativa é necessário nível superior em qualquer curso superior. Já a área judiciária é destinada somente para quem possui formação em direito e a judiciária especializada, para quem possui formação em diversas áreas, que ainda serão confirmadas.

A remuneração inicial do cargo, de acordo com o setor de folha de pagamento, é de R$ 3.581,12. De qualquer forma, a organizadora já está definida e será a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Assim que iniciadas, as inscrições poderão ser feitas somente pela internet, na página eletrônica da organizadora, que é www.fgvprojetos.fgv.br. As taxas já estão definidas e serão de R$ 62 para analistas nas áreas administrativa e de apoio especializado e R$ 68 para a área judiciária especializada.     

FONTE: JCCONCURSOS

MPTC-SC: Saiu concurso para 2º e 3º graus. Até R$23.997 mensais

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas de Santa Catarina (MPTC-SC) abriu concurso que visa prover um total de 25 vagas para os níveis médio e superior. Serão reservados 5% das vagas para pessoas com deficiência. No primeiro nível as oportunidades serão para técnico em contas públicas e técnico em atividades administrativas. Já para o segundo, as chances são para advogado, analista de contas públicas e procurador do ministério público junto ao tribunal de contas. Os vencimentos irão variar de R$8.415,92 a R$23.997,19.
O cargo de Analista de Contas Públicas abrange as seguintes áreas de formação:Administração (Curso superior na área de Administração com  Registro no Conselho Regional de Administração) 01 vaga; Contabilidade (Curso superior de Ciências Contábeis com Registro no Conselho Regional de Contabilidade) 02 vagas; Direito (Curso superior de Ciências Jurídicas) 16 vagas; Economia (Curso superior de Ciências Econômicas com Registro no Conselho Regional de Economia) 01  vaga, e a  remuneração mensal inicial é de R$ 11.018,82.
As inscrições para todos os cargos estarão abertas até o dia 14 de agosto no site da Fepese, organizadora. A taxa é de  R$70 para os técnicos, R$100 para advogado e analista e R$210 para procurador. Poderão pedir isenção doadores de sangue e os candidatos que forem inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). A relação de deferimento e indeferimento, será publicada no site da Fepese no dia 4 de agosto. A homologação das inscrições possui data prevista para o dia 20 de agosto.
A seleção se constituirá de quatro etapas. Prova escrita com questões objetivas de caráter eliminatório para todos os cargos, com data prevista para o dia 31 de agosto para os técnicos, analista e advogado, e 14 de setembro para procurador; avaliação de títulos de caráter classificatório somente para as vagas de nível superior e prova escrita com questões discursivas, de caráter eliminatório e classificatório; prova oral, de caráter eliminatório; e exame de higidez física e mental, eliminatório, para o cargo de procurador. A primeira fase terá um total de 60 questões para os técnicos, que serão divididas em: dez de Língua Portuguesa, dez de Informática e 40 de Conhecimentos Específicos. A avaliação para analista e advogado terá um total de 70 questões, distribuídas em: dez de Língua Portuguesa, dez de Controle Externo, cinco de MP junto ao Tribunal de Contas, cinco de Informática e 40 de Conhecimentos Específicos.
O teste escrito objetivo para os procuradores conterão 80 questões, sendo oito de Língua Portuguesa, 13 de Direito Administrativo, 12 de Direito Constitucional, cinco de Responsabilidade Fiscal, 12 de Orçamento e Contabilidade Pública, cinco de Controle Externo, cinco de MP junto ao Tribunal de Contas, cinco de Direito Econômico e Financeiro, duas de Direito Previdenciário, três de Direito Penal e Processual Civil, cinco de Direito Processual Civil, três de Direito da Empresa e Direito Civil e duas de Direito do Trabalho. A carga horária será de 40 horas semanais para todos os cargos. O regime de contratação será o estatutário e a validade do concurso será de dois anos, contados a partir de homologação do resultado final, prorrogável por igual período.
FONTE: FOLHA DIRIGIDA

TJ/RS - Saiu concurso para técnico e analista. Até R$9.894

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) abriu inscrições para concurso com 13 vagas, mais formação de cadastro de reserva, para os níveis médio/técnico e superior. São 13 vagas distribuídas nos cargos de analista e técnico judiciário em diversas áreas, com atuação na Justiça Estadual (TJ) e Justiça Militar (TJM). A remuneração é de R$4.210,85 podendo chegar a R$9.894. A carga horária é de 40 horas semanais. Para os candidatos com deficiência serão reservadas 10% das vagas. O regime é estatutário, garantindo estabilidade ao contratado.
As inscrições vão até o dia 22 de julho, podendo ser feitas no site da organizadora, a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs). A taxa é de acordo com o nível de escolaridade, sendo R$64 para o nível médio/técnico e R$145 para o superior. O resultado preliminar das inscrições será divulgado no dia 30 de julho. Os recursos podem ser feitos entre o dia 1º ao dia 5 de agosto.
Os candidatos com deficiência podem solicitar isenção da taxa, enviando via Sedex, até o dia 11 de julho, à Faurgs (Av. Bento Gonçalves, 9.500, prédio 43.609, 3.o andar, Setor de Concursos, Campus Vale da UFRGS, Bairro Agronomia, Porto Alegre, RS, CEP 91501970) os seguintes documentos: requerimentos de inscrição e de isenção, cópias do boleto bancário de inscrição (sem pagamento), da carteira de identidade, do atestado médico (original ou cópia autenticada) legível e a apresentação de declaração de que sua renda mensal per capita familiar de até um salário mínimo e meio.
A avaliação será por meio de prova objetiva, cuja convocação está prevista para o dia 11 de agosto. A prova será realizada no turno da manhã para todos os candidatos e no turno da tarde somente para os candidatos ao cargo de técnico em informática classe "O", no dia 24 do mesmo mês. Serão 80 questões distribuídas nas seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Conhecimentos Específicos, Legislação, Informática e Língua Inglesa, de acordo com o cargo desejado. Para os cargos de técnico em informática classe “M”, programador classe “O”, técnico em eletrônica classe “O” e técnico em informática classe “O” serão cobradas 70 questões. O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período.
Fonte:Folha Dirigida

quarta-feira, 9 de julho de 2014

CGE/PI - Fecha acordo com CESPE para concurso com 10 vagas para auditor

O Controlador-Geral do Estado, Darcy Siqueira, esteve em Brasília (DF) para acertar detalhes com o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (CESPE/UnB) para realização de concurso do órgão. Serão oferecidas dez vagas para o cargo de auditor governamental nas áreas de Engenharia (quatro vagas), Tecnologia da Informação (uma vaga) e Geral (cinco vagas), que inclui Ciências Contábeis, Direito, Administração e Economia.
Em abril deste ano, a CGE formou comissão para realizar o certame e elaborou um Termo de Referência para quatro empresas de renome nacional. O CESPE/UnB foi a única que apresentou proposta, embora com valores elevados.
“A proposta do CESPE estava com valores muito elevados, tomando-se como parâmetro o concurso da Procuradoria Geral do Estado, realizado em quatro etapas, no mesmo estado para um cargo semelhante. Então fomos pessoalmente para tentar negociar esse preço e conseguimos chegar a um acordo. Agora esse acordo será formalizado, vamos alterar alguns detalhes no Termo de Referência e eles vão apresentar proposta com valores mais próximos da nossa realidade”, explica o Controlador-Geral, acrescentando que o próximo passo será a formalização do contrato.
CONCURSO EM ANO ELEITORAL - A Lei 9.504/97, que determina os procedimentos para as eleições costuma gerar polêmicas e dúvidas entre quem pretende ingressar no funcionalismo público. Mas o período eleitoral não proíbe a realização de concursos. O que fica proibida é a nomeação dos aprovados nos três meses que antecedem o pleito até a data da posse, salvo se o concurso já tiver sido homologado até antes do início desse prazo.
Segundo o Controlador-Geral do Estado, Darcy Siqueira, a CGE está dando prosseguimento ao projeto iniciado ainda em dezembro de 2013. “Nós temos autorização do então governador do Estado, Dr. Wilson Martins, e existe dotação orçamentária específica para a realização desse concurso. Ele pode ser feito em período eleitoral, mas não pode haver nomeação, o que não vai mesmo ocorrer, porque dentro do cronograma do concurso, as provas devem ser realizadas no final deste semestre. Portanto, a homologação do resultado do concurso provavelmente será no próximo ano, quando também será feita a nomeação”, explica.
Fonte:Portalaz.com.br

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Abertura de concursos e provas não são proibidas no período eleitoral

A abertura e a realização de concursos públicos não são interrompidas durante o período eleitoral, diferente do que muitos candidatos pensam. Segundo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, “os concursos não estão proibidos em ano eleitoral, podendo ser realizados a qualquer tempo, antes e depois das eleições, conforme entendimento do Tribunal Superior Eleitoral”.
A única mudança ocorre na nomeação de candidatos aprovados, já que o artigo 73 da Lei das Eleições (9.504/97) restringe a nomeação, contratação ou admissão do servidor público nos três meses antes do pleito e até a posse dos eleitos, que neste ano será de 5 de julho a 1º de janeiro de 2015.
"Além de proteger servidores públicos de perseguições políticas, esse dispositivo [artigo 73] coíbe o governante de usar suas competências com fins eleitoreiros, nomeando candidatos aprovados para ganhar votos”, afirma Fernando Bentes, diretor do Questões de Concursos.
O importante é que o candidato preste atenção à data da homologação do concurso – a divulgação da relação final de aprovados. Se isso acontecer até 5 de julho, a nomeação pode ser feita, sem nenhum impedimento, em qualquer data do ano.
“Em síntese, a única restrição da lei é proibir nomeações de concursos não homologados antes do período eleitoral”, ressalta Bentes.

Quem não pode ser nomeado
A medida se aplica somente às esferas de governo em que ocorre a eleição. Neste ano, com escolha de presidente, governador e deputados estaduais e federais, não poderá haver nomeações nas esferas federal e estadual no segundo semestre. A admissão em âmbito municipal poderá ocorrer sem restrições.

A lei prevê algumas exceções: podem ser nomeados, em qualquer época, os candidatos aprovados para cargos no Poder Judiciário, Ministério Público, nos Tribunais ou Conselhos de Contas, órgãos da Presidência da República ou serviços públicos essenciais e inadiáveis.
Giuliano Menezes, do curso Agora Eu Passo, lembra que a limitação atinge apenas a nomeação de empregados públicos e servidores públicos, e não afeta a nomeação ou exoneração de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança.
Recomendações para os candidatos
Quem foi aprovado e está aguardando a nomeação não deve ficar preocupado com o período de restrição, dizem especialistas. "Este candidato já passou pelo mais difícil, que foi a aprovação. Esperar mais alguns meses não terá nenhuma grande consequência para ele, a não ser aumentar a sua expectativa", afirma Fernando Bentes.
Para os candidatos que ainda estão em busca de um vaga, Giuliano Menezes recomenda aumentar o ritmo de estudo. "Entre julho e outubro, teremos um período de quase quatro meses. É possível estudar muito conteúdo e, por isso, não se deve perder tempo."
Fonte: Com informações do G1